Header Ads

Crítica | Irmãs



Muitas comédias já abordaram o tema da festa de arromba que surge como um ritual de passagem para jovens que, por um último momento, não precisam se preocupar com as responsabilidades da vida adulta. Irmãs, novo trabalho do cineasta Jason Moore (A Escolha Perfeita), parte de uma premissa similar, mas inverte a situação ao colocar duas protagonistas de meia-idade organizando a tal festança para relembrar as suas épocas auras e para poderem soltar todas as amarras e se comportarem como jovens inconsequentes uma última vez.

Escrito por Paula Pell (programa Saturday Night Live) o roteiro acompanha as irmãs Maura (Amy Poehler, da série Parks and Recreation) e Kate (Tina Fey, da série 30 Rock), que além da diferença física, também apresentam comportamentos completamente distintos. Enquanto a primeira disfarça a solidão causada pelo divórcio tentando ajudar as pessoas o tempo todo, a segunda se recusa a assumir qualquer responsabilidade na vida, mesmo tendo uma filha adolescente para criar. Quando ficam sabendo que seus pais vão vender a casa onde elas cresceram, as duas resolvem dar uma última festa para relembrar o passado e tentar recuperar um pouco do tempo perdido.



A ideia de festa que toma proporções gigantes e desastrosas é bem explorada aqui, mostrando que adultos suburbanos também sabem se divertir. O problema é quando o filme resolve apostar num tom mais sério, apresentando uma discussão rápida e rasteira sobre responsabilidade parental, o problema de relacionamento entre Kate e sua filha (Madison Davenport), ou mesmo sobre a relação complicada das irmãs. É claro que isso não dura muito, afinal é a química de Poehler e Fey, amigas de longa data, que move toda a narrativa. E, de fato, as duas funcionam muito bem juntas.

Em muitos momentos a impressão que fica é que Moore deixa a câmera rodando para pegar o máximo de improvisos das duas e do resto do elenco. Isso funciona muito bem para algumas piadas – como quando Fey fica dando em cima do traficante de drogas –, mas em outras nem tanto, dando ao filme um ritmo bastante irregular. Também não ajudou o fato de que alguns dos melhores momentos já tivessem sido divulgados no trailer, como é o caso da cena envolvendo uma caixinha de música.

Irmãs ainda traz um pouco do humor ácido do qual as duas são referência, principalmente por conta dos diálogos rápidos. Tais momentos,porém, são raros, e o que sobra então é um amontoado de situações propositalmente embaraçosas, que pode agradar quem procura um humor mais leve e descontraído, mas que não se comparam aos trabalhos anteriores das duas.



FICHA TÉCNICA
Título original: Sisters
Gênero: Comédia
País: EUA
Ano: 2015
Duração: 118 min.
Direção: Jason Moore
Roteiro: Paula Pell
Elenco: Amy Poehler, Tina Fey, Maya Rudolph, Ike Barinholtz, James Brolin, Dianne Wiest, John Cena, John Leguizamo, Bobby Moynihan, Madison Davenport, Rachel Dratch.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.