Header Ads

Crítica | Logan Lucky - Roubo em Família

Steven Soderbergh volta a investir na fórmula do filme de assalto e acerta novamente. 


Há algum tempo, o cineasta Steven Soderbergh anunciou a sua “aposentadoria” do cinema, numa época em que mantinha uma média de uma produção por ano. Mas esse não foi um período de descanso. Nesse ínterim, ele se dedicou a projetos televisivos e fez a direção de fotografia de outros longas-metragens. Logan Lucky - Roubo em Família marca o seu retorno à função de realizador. E trata-se de um retorno seguro, abordando um gênero que ele já está bem acostumado (o do filme de assalto), repetindo muitas das temáticas já discutidas antes e, o mais importante, entregando novamente um ótimo trabalho.

Escrito por Rebecca Blunt (que muitos suspeitam ser outro dos pseudônimos do próprio diretor), o roteiro acompanha Jimmy Logan (Channing Tatum), divorciado, pai de uma filha pequena e operário da empreiteira responsável por uma obra na pisca da NASCAR. A situação, que já não era boa, fica ainda pior quando ele demitido do seu emprego. Sem perspectiva de futuro e vendo a possibilidade de sua ex-mulher (Katie Holmes) levar sua filha para longe dele, Jimmy resolve realizar um grandioso roubo durante uma corrida. Para isso, ele contará com a ajuda do seu irmão Clyde (Adam Driver), sua irmã Mellie (Riley Keough), e do especialista em bombas Joe Bang (Daniel Craig).


O texto segue à risca a cartela do filme de assalto. O plano é apresentado, a equipe é formada, algo dá errado e é preciso improvisar, e, o mais importante, o espectador recebe a informação apenas quando lhe é necessário, nunca antes. Existem até algumas relações com 11 Homens e Um Segredo (também dirigido por Soderbergh), seja na presença dos dois irmãos bizarros que servem de mão de obra, no roubo que acontece durante um grande evento esportivo (naquele caso era durante uma luta de boxe) ou ainda, de maneira mais direta, quando é mencionado na TV que estão chamando este roubo de Ocean’s Seven-Eleven.

Porém, existem algumas diferenças essenciais. A primeira delas é que, aqui, o protagonista é visto como alguém injustiçado, e não alguém querendo se dar bem. Esse conceito é reforçado pelo fato de o “alvo” do roubo ser o próprio sistema, e não um indivíduo (como dono de um cassino, por exemplo). Outra distinção é que existe um clima melancólico que impera no fundo de todo a projeção, especialmente por conta do desenvolvimento dos personagens. Não que Logan Lucky seja um drama pesado, ele não é; mas há, sim, um cuidado maior do roteiro em fazer daquelas pessoas seres multifacetados: a relação de Jimmy com a filha e com o seu irmão Clyde é central para a narrativa.


Pessoalmente, não gosto muito da direção de fotografia assinada por Soderberg (sob o pseudônimo de Peter Andrews), porque acho que ele repete a mesma paleta de cores alaranjada e as vezes mergulha seus personagens numa escuridão desnecessária. Apesar de repetir isso aqui, ele se contém um pouco mais, mantendo o plano aberto e os espaços bem iluminados. Isso permite que ele, como cineasta, explore bem a interação entre os atores. Enquanto Daniel Craig é anárquico e exagerado na medida certa, Channing Tatum e Adam Driver baseiam suas atuações num misto de inocência e ingenuidade, tentando manter-se sérios em meio aos absurdos das situações que presenciam.

E o longa abraça esses absurdos, sem se preocupar em explicar muita coisa, pois o humor se constrói nessa falta de sentido. É o caso da piada envolvendo um sujeito vestido de urso que é visto na floresta e, literalmente, desaparece em seguida. Da mesma maneira, nunca fica claro como Jimmy conseguiu bolar um plano tão complexo como aquele, sendo que a única informação que ele fornece em certo momento é que trata-se de algo difícil de ser feito. E como ele sabe disso? “Eu procurei no Google”. É esse tipo de leveza que faz de Logan Lucky - Roubo em Família um filme tão divertido, a leveza de alguém que aproveitou bem a sua “aposentadoria”.


FICHA TÉCNICA:
Título original: Logan Lucky
Gênero: Comédia
País: EUA
Duração: 118 min.
Ano: 2017
Direção: Steven Soderbergh
Roteiro: Rebecca Blunt
Elenco: Channing Tatum, Adam Driver, Daniel Craig, Jim O'Heir, Riley Keough, Katie Holmes, David Denman, Charles Halford, Seth MacFarlane, Jack Quaid, Brian Gleeson, Katherine Waterston, Sebastian Stan, Hilary Swank, Macon Blair.

Um comentário:

  1. Oi adorei a postagem e visitei várias outras... Eu vim pelos parceiros: Eu te Salvo e TrendsTops visite minhas postagens também, comente só se gostar do assunto! O Monstro da Boca Gigante e o Dia das Bruxas http://eutesalvo.com/c/173169 + http://trendstops.com.br/link/18349

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.